Páginas

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Luar nas coxilhas


                   
                    Nos campos da coxilha rica onde os pinheiros se erguem ostentosos como pilares de um templo majestoso sem igual. Onde súditos e deuses compartilham a mesma autoridade. No fim de tarde o vento assovia canções que prometem mais uma noite fria. No horizonte o sol se põe fadigoso. Anunciando que logo toda a coxilha estará envolta pelo sepulcro da escuridão noturna.
                   
                  Na frente da casa de madeira a jovem professora observa o majestoso fim de tarde. Um a um seus adoráveis alunos vão se despedindo. Mesmo com a pouca idade partem em suas próprias montarias, como o costume desta região. Outros sorridentes e orgulhosos na garupa junto aos pais. A pequena escola agora se encontra quase vazia, falta apenas o pai de Vitor, o aluno recém-chegado do norte. Na face bucólica do garoto de oito anos, fica quase imperceptível o olhar melancólico e expressão austera que só podemos encontrar naqueles que já conheceram as maldades do mundo .Ele  manteve-se calado durante toda essa semana de aulas. Melissa compreendia,  apesar de ter apenas dezessete anos já leciona nesta localidade desde os treze. É de seu conhecimento que mudanças precisam de tempo para adaptações. Logo ele seria mais um dos seus alunos barulhentos e peraltas, Preocupados com pescarias e torneios de laço. 
Escureceu rápido e agora a lua cheia completava a lista de monumentos do esplendor noturno Melissa foi fechando as janelas. Amontoando as carteiras. Já impaciente pela negligencia do pai do garoto. Vitor pareceu notar tal aflição:
               – Professora meu pai deve estar logo chegando tenho certeza, ele disse que vem!
A frase do menino soou como um desabafo. Melissa ajoelhou-se na sua frente e acaricio sua face.
Na frente do colégio, o cavalou de Melissa demonstrava sinais de perturbação. As patas marchavam sem sair do lugar. A respiração mais rápida formava uma fumaça embranquecida frente as narinas.Algo o incomodava com certeza. Olhando ao redor só campo e pinheiros. A escuridão agora abraçava os horizontes. Melissa conseguia enxergar poucos metros a sua frente.Lembrou de pegar o lampião dentro da escola. Ante de voltar para dentro da pequena casa seu movimento foi impedido por um som que veio dos pinheiros a sua frente.
                – Seria uma gralha-azul, ou um bugio! Esses macaquinhos danados!-. Pensou.
O barulho se fez novamente agora seguido da imagem de dois olhos flamejantes em meios a escuridão das arvores.Melissa sentiu a face gelar.
                 – Pode ser um leão baio, um maldito puma querendo nos fazer de bóia !
Juntos com esses pensamentos veio a lembrança de que a velha espingarda do pai estava ali na cela do seu cavalo. Ela sabia atirar como ninguém.Com passos leves iniciou o caminho até o fiel animal.eram apenas dois metro até a arma. Nem seria preciso atirar contra o temido puma, só um disparo para cima já assustaria o animal. Antes que terminasse o primeiro passo Melissa foi ao chão com deslocamento de ar resultante do ataque da fera ao dócil cavalo. A sua frente uma besta horrível se colocava de pé.apoiada pelas patas traseiras enquanto erguia a carcaça do animal abatido, agora dividido em dois.O olhos da fera pairavam sobre Melissa.O corpo como de um homem. A face de um lobo.
Na escuridão ele sibilava.Este era seu sorriso nefasto.Junto com o uivo horrendo a fera arremessou o que sobrou do cavalo em sua direção.Uma súbita coragem fez com Melissa levantasse antes que a carcaça a atingisse, seguindo pra dentro da escola fechando a fraca porta de madeira.Vitor que estava sentado rabiscando com um giz na mão,olhou com espanto para professora que agora ofegava encostada na porta.
                  –Venha Vitor me ajude a colocar essa mesa na porta –  Um  armário frente a porta foi mais fácil, foi preciso só um empurrão para derrubá-lo.A fera esmurrava a porta e todo o casebre tremia.Apos algumas investida ela desistiu.Melissa e Vitor abraçados escutavam os passos do animal rodeando o colégio. Agora o barulho vinha de cima, do telhado. Em pancadas desacertadas o lobisomem destruía as telhas e rasgava o forro. Em um minuto ele estaria junto a eles. Melissa apavorada junto de Vitor correu para o canto da sala. Não havia pra onde fugir. Soltando do abraço protetor da professora o menino correu até o centro da sala onde começou a rabisca algo no chão com o giz que tinha nas mãos. Exatamente abaixo de onde a fera estava a ponto de despencar. Vitor correu de volta para perto de Melissa. Enquanto a fera despencava para o encontro de suas vitimas. Já dentro da escola o lobo descomunal avançou. E foi impedido por um barreira invisível.Com os olhos cheios de fúria tentou novamente e novamente sentiu o poder da própria força contra si. Melissa contemplou a fera presa em um dos mais improváveis cárceres. Vitor com o giz na mão desenhou um circulo perfeito onde pousava um enorme pentagrama ornamentado por outros símbolos menores que professora desconhecia. O menino surgiu ao seu lado e com a voz suave a acalmou:
                  – Pode ficar sossegada professora ele não vai sair daí.
Ela não respondeu, nem poderia, as palavras fugiram da sua boca assim como os fatos da sua compreensão. A fera permanecia estática no meio do desenho. No desenrolar da noite mestre e aluno adormeceram em um canto da sala. Aos primeiros raios de sol Melissa despertou, e antes de abri os olhos  desejou que tudo o que aconteceu fosse apenas um sonho ruim. Mas não foi.Na escola destruída, onde antes havia uma fera contida por um insígnia antiga, agora estava a figura de um homem sem roupas e sem hostilidade no semblante.Vitor correu em sua direção o abraçando forte em meio a alegria juvenil
                   – Pai!Pai! Eu sabia que você vinha! Eu sabia! Eu disse pra professora !
O homem encarou Melissa.O pavor que ela sentia agora se transformara em fascínio.Sentiu o peito palpitar quando o pai de Vitor a olhava, mas não era medo que ela sentia.Nem ela poderia explicar.Com a voz suave e o filho envolto nos braços ele falou:
                   – Me desculpe pelo atraso, na próxima vez eu venho mais cedo.

Continua...

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

As Frases de Sandman


Nos meados dos anos noventa conheci uma saga em quadrinhos sem igual. Era Sandman de Neil Gaiman. O promissor escritor foi chamado na época pela DC Comics para revitalizar um personagem de outra época, e Gaiman foi muito mais além disso. Ele criou uma nova mitologia cheia de elementos góticos, fantásticos e existenciais. Escrever sobre tal assunto é mais que empolgante, mas meu objetivo nesta postagem não é uma resenha sobre o trabalho de Gaiman.Quero apenas instigar aqueles que não conhecem e saudar aqueles que já conhecem a saga dos perpétuos.
Existem muitas frases, diálogos, citações marcantes na escrita de Gaiman. Essas frases abaixo são apenas grãos de areia no imenso universo de Sandman
Dedico esta postagem ao amigo da trupe noturna Paulo Marcelo, grande admirador das criações de Neil Gaiman.

Para quem não conhece

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sandman_(Morfeus)


“Aos amigos ausentes, amores perdidos e velhos deuses... e à estação das brumas... que cada um dê ao diabo o que ele merece"

"O preço de se ter aquilo que se quer é ter aquilo que um dia se quis."

"Que poder o inferno teria se os presos daqui não conseguissem sonhar com o paraíso?"

-"Eu sou a anti-vida, a besta do julgamento, eu sou a escuridão no fim de tudo. O fim dos universos, deuses, mundos... de tudo. E o que você é mestre dos Sonhos?”
-"Eu sou a Esperança."


"Quando a primeira coisa viva
existiu, eu estava lá esperando...
Quando a última coisa viva morrer,
meu trabalho estará terminado...
Então, eu colocarei as cadeiras
sobre as mesas, apagarei as luzes,
e fecharei as portas do universo,
enquanto o deixo para trás..."

“rose Walker - ei, vc! sabia o que Freud disse sobre sonhos de voar? quer dizer que na verdade estamos sonhando em fazer sexo.”
Morpheus - verdade? então o que significa quando vc sonha que está fazendo sexo?”

"O que ganho eu, se conquisto aquilo que busco? Um sonho, um alento, uma espuma de alegria fugidia. Quem compra o contentamento de um minuto para se lamentar uma semana?"

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Meu Conto no Estronho

Jana Caótica by Andy

No meio do show da banda Caótica um inusitado visitante chama a atenção da guitarrista Lana.
Ela fica fascinada pelo jovem na platéia.Um encontro que promete muito Sexo, Sangue e Rock n' Roll!
O link abaixo leva para o conto no site Estronho do escritor M. D. Amado, figura ativa na literatura fantástica nacional. Em breve coloco mais aqui sobre os projetos do M.D. Amado. Vale a pena percorrer pelo site e conhecer melhor o trabalho do Amado e o de outros escritores.Valeu



segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Dicas de Leitura



O Desejo de Lilith - Ademir Pascale

Quando me deparei com escritor Ademir Pascale divulgando o que era o projeto futuro do seu livro , notei que seria uma obra no mínimo enigmática. E com passar do tempo constatei que O Desejo de Lilith promete muito mais que isso. O enredo envolve um velho e decadente detetive de polícia Rafael Monte Cerquillo que ao investigar um macabro suicídio, se encontrar uma conspiração contra toda a humanidade. Uma palavra-chave, transliteração de uma palavra hebraica repetida em 63 trechos da bíblia, dará início a mais sombria das investigações. O autor parti de uma minuciosa pesquisa de textos apócrifos para compor a trama que mescla fantasia e fatos reais. Entre demônios perversos, poderosos, internos e bons. Também encontramos uma sinistra relação de personagens históricos, tais como: Platão, Vlad Tepes, Erzsébet Báthory, John Milton, Thomas Chatterton, Mary Shelley, Percy B. Shelley, Robert L. Stevenson, Aleister Crowley e Jim Morrison.Em meio a uma São Paulo envolvente embalados pelo velho rock n’roll, será revelado O Desejo de Lilith.Conheci o Ademir Pascale durante a seleção da antologia Metamorfose -A Fúria dos Lobisomens- da qual ele foi o organizador.S desde então ele tem sido um figura muito importante nas minhas veredas pelo universo literário. O tenho como um mestre, um amigo, sempre presente com suas dicas, puxões de orelha(rs) e apóio.Um cara que não mede esforços para ajudar autores iniciantes e promover a literatura fantástica nacional. Deixo aqui meu desejos de sucesso(que eu tenho certeza) ao escritor e amigo Ademir Pascale!
-Sinopse -
Um descuido dos tradutores da Bíblia revelou o pior dentre todos os demônios. Um velho e decadente detetive de polícia investiga um macabro suicídio, mas o que ele não sabia era que sua vida estava por um fio e seria envolvido em uma conspiração contra toda a humanidade.O Desejo de Lilith, um romance sobrenatural vivenciado nas principais avenidas e ruas de São Paulo, repleto de segredos, revelações, aventuras e muito rock n’ roll. Mas atenção, seja forte e esteja preparado ao ler estas páginas, pois você não confiará mais em seu vizinho ou qualquer outro transeunte que cruzar o seu caminho. Você nunca mais enxergará o mundo como antes…
Afinal qual seria o Desejo de Lilith...

Blog do autor
Comunidade no Orkut



Na Próxima Lua Cheia - André Bozzetto Jr

Conhecedor do mito do lobisomem o escritor André Bozzetto Jr, nos apresenta “Na Próxima Lua Cheia” com certeza uma obra que não pode faltar na coleção de quem curte os difamados lupinos e na literatura do gênero.Grande admirador de filmes de terror/suspense o autor envolve o leitor com uma narrativa sagaz e personagens muito bem elaborados.Com certeza uma obra que vai além de uma mera historia de lobisomens. com certeza um título que se tornara referência do estilo na literatura do gênero.
Conheci o André em São Paulo no lançamento da antologia Metamorfose, na qual ambos participamos.E entre muita cerveja e papos sobre licantropia(rs) conheci mais sobre o autor e seus projetos.Uma amizade que podera render parcerias literarias no futuro, o que será um honra! O autor André Bozzeto Jr é uma figura de criatividade inquieta! Além de escritor, professor universitário, blogueiro, colunista, cineasta e por ai vai... Logo estarei colocando aqui outros Post ‘s sobre os trabalhos do amigo André Bozzeto Jr
-sinopse-

Obcecado em desvendar a verdade por trás de uma história antiga e obscura narrada por seu pai no leito de morte, Lucas decide partir na companhia de dois amigos em uma viagem a um lugarejo remoto no interior da região serrana do Rio Grande do Sul. Chegando ao seu destino, ele descobre que há um alto preço a ser pago pelos segredos revelados, pois quando surge a lua cheia, o trio de amigos se vê diante de horrendas criaturas dispostas a manchar de sangue os tons sombrios da noite.
Prepare-se para embarcar em uma viagem repleta de suspense, terror e reviravoltas ao acompanhar uma sinistra história sobre vingança e lobisomens que culmina em um final surpreendente e impactante.

Prefácio de M.D. Amado
Editora MultiFoco
Previsão de Lançamento: Primeiro semestre de 2010
Blog do autor
http://www.escriturasdaluacheia.blogspot.com/

Comunidade no Orkut

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=97647380